quarta-feira, 8 de outubro de 2014

O que eu aprendi

O que eu aprendi nesse tempo,
foi a humildade
de esperar
Na Entrega

Intenção que me liga ao céu.

Aprendi
o que a música
dizia..."tudo o que move é sagrado"...

E em tantos movimentos

Subi montanha, desci montanha,
dancei, silenciei, amei...

Amo o caminho que Sou

O Sol...

que aqui nesta cidade me ensinou a desvendá-lo,
aprendi sobre o elo do feminino e masculino,
na Kundalini da integração..

Minha ação no agora.


Sigo dançando
 de volta para meu lar perto do mar.

A cabocla me chama
pra jogar capoeira
na beira da praia
e acordar na sinfonia
 dos passarinhos vizinhos.


*Jaxuka *
Curitiba
08/10/14







sexta-feira, 16 de maio de 2014

Entrega

Derradeira mudança
consolo do silêncio

forte ensinamento
de entregar-me ao coração

em tempos de alopáticos
em desunião...

pra onde vou

ao caos,
 me coloco atenta
e sou a paz que me cativa
em flor, pássaro, palavra

Entregue à vida.

As crianças gritam por círculos,
rodas de 'alegriar' a alma

quintal de expressão viva
a natureza
que existe em nós

Seguimos com Sol ou  Chuva
na garoa da esperança
de que novos tempos virão.

Sopa, pinhão, chá, chimarrão

A montanha cidade
me chama 
pra contar histórias
e brincar  no mar de crianças,
minha presente esperança de transformar
Competição
 em Cooperação.

(Fer Dorta)
16/05/2014










segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Fragmentos do Amor

O amor, para mim, 
não tem separação,
e nunca terá.
Marido e amigo, amiga,
pai, irmão, cunhada,
tia, avó,
João.

Enteada, sobrinha,
prima, tio, passarinho, solidão.

Solitude. O amor para mim é um cordão 
que me liga à vida, 
é meu instrumento diário 
movedor da acessível pureza de uma flor
que faz de mim aromática observadora
dos mínimos detalhes naturais.

Amar, às vezes, é como montar um quebra cabeça.
Necessita paciência, curiosidade, 
sobretudo, disponibilidade e inteligencia emocional
para encaixar cada peça no seu lugar.
Porque não é sempre que estamos dispostos 
a juntar as peças e desvendar enigmas da complexidade de se relacionar.


Porque juntar peças exige remexer no passado
conversar com o presente,
alimentar o futuro,
tudo ao mesmo tempo, junto.

Cada peça é uma viagem sem volta,
uma vivência registrada na alma,
um pedaço importante do todo maior.
Do todo, que nem tudo sei do que é feito esse todo,
Mas é genuino juntar as peças, porque é assim que o amor se constroi,
fazendo, sendo, compondo o desenho de nossa própria história.

O Amor é um todo maior. 
Nada se separa no meu coração. 
Tudo que é amor em mim me transforma
 e me move para sustentar o meu ofício divino.


Saraya 18.11.13

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Gratidão

Sorriso estampado no rosto da vida,
alegria interna
do semear divino.

Doar, receber,
Fluir na temperança
que o torna mais consciente
e feliz.

Ser,  ouvir-se,
ouvir o que a natureza lhe diz.

Gratidão por compartilhar
as coisas da vida
que mais preciso aprender.

Gratidão é ser
entregue ao aprendizado,
seja ele qual for,
é aceitar o intangível
e manifestar  a luz
que mora dentro de você.

A gratidão é
meu alimento diário.
E nem sempre consigo
expressá-lo ao mundo

por ser uma semente
que nasce devagarinho
a cada nascer de sol.


Gratidão por aceitar minha própria Luz
e reconhecê-la em tudo que é vivo.

Gratidão Mãe!

Jaxuka

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Sangue do meu sangue


Quanto mais consciente Sou, 
mais desprendida desse mundo fico...

Isso não significa que deixarei 

de saborear a beleza e alegria 
de pisar no chão macio 
da minha mãe de criação.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Nêga avó


Café preto e doce de derreter a alma
com chimango feito de goma e água
mergulho numa infância antiga
nos quintais desse sertão
de esperança


Seu colo acalenta lembranças
e minha criança dança
em sua morada de terreiro
cheio de galinhas,
plantas e cães parceiros

Lavadeira de rio
que quase não corre
nas veias dessa terra

Sua sabedoria
Não tem pressa de viver
nem tão pouco medo de morrer
e sentir dor

Sua resistência
é minha luta
e sua alegria
é o acolhimento
de minha própria


Essa mulher
que canta
mesmo
com a seca
que devora
o carinho do marido

Do seu canto
me alimento
e admiro
seu mundo
e seu tempo

O seu canto
levarei comigo
no peito,
preta avó.

E contigo cantarei
até que a chuva
te traga de volta o rio
da consciência
de sua importância de existir.

(Jaxuka Porang)
Alto sertão da Bahia
02.08.12

sábado, 21 de julho de 2012

Nosso sentir



Partir , chegar
participar
da tua vida

Sorrir , chorar
e agradecer
por mais um dia
ao lado teu

É uma benção divina
sermos UM,
ah, sermos UM

É como o nascer do Sol
ou como o mar de estrelas
a nos guiar

O tempo nos remete
à imensidão

Solitude sim
não à Solidão

Pequenas coisas
coisas simples
repletas de Amor e Gratidão
evolução,
a evolução

É  o que nos faz
seguir em frente
e ir além

A verdadeira Luz
é se entregar
sem medo de errar e ser feliz

"Eu sou tú, tú es eu e nós somos um em nosso sentir"

(Fer Dorta e Raphael Souza)

Canto de uma Bahia esquecida


Pé na roça anuncia
corações em busca
de paz, pureza e alegria

viver com pouco
serena idade
de sonhar
a gota
do mar,
amar vida em comunidade

desejar a roça
atual sem álcool,
remédio da solidão.

carroças disputando
espaço com motoqueiros
da ilusão

a Tv é o banquete
do sonhador

o menino,
 a esperança
do avô

o pai
sai pelo terreiro de madrugada
segurando sua enxada
a procura de alecrins

O Sol
fiel companheiro
do filho da terra vermelha

absorve
gotas d' lágrima
da menina
que faz de seu
brinquedo
sua bebê no colo

A escola rural

é a escola da vida..


a vida de um povo
que vai esquecendo
como se dança
o reisado
nas rachaduras
do chão do sertão.





Núcleo (s) dos UniVers(os)


No centro do Universo
há muitos universos,
há núcleos de existência
dentro de núcleos de existência

Há consciências
que em minha memória
me faz ser você
e você eu...
e nós juntos
a consciência
de algo maior
em muitas vidas
a desvendar
no presente
da evolução.

Há universos
em versos
inversos,
reversos...
tempos, dentro de tempos,
incontáveis tempos..

Tempo.
Um filme longa metragem sem fim.

E nós aqui
contando os dias,
presos a
passagem da noite pro dia
do dia pra noite
dizendo coisas, mais coisas,
passando as horas
que equivalem anos
em outras bandas dimensionais.

O meu mundo
e o seu mundo
são pequenos
mas são grandes
na perspectiva do universo que vivemos dentro de nós.

Então pare de achar
que seu núcleo universal
está separado do Todo do Universo
e que o Universo é algo distante,
lá na Galáxia,

ou é um extraordinário
fenômeno separado
do que vivemos
em nosso próprio universo.

Somos tudo neste vasto e interminável
 núcleo de transformação..

Somos pequenas
partículas, filhos
do núcleo da Terra
em constante mudança
de percepção.

O que fazemos
para somar
nossa consciência a
todos os universos?


Haverá matéria se formos um só Universo
 em muitos núcleos de Universos?

Eu desejo estar aqui até Ser você o outro, a planta, o vale, Vênus,...
e todos os universos no Ser Supremo.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Divindade do Amor

O tempo parou,
e de agora em diante
a eternidade nos conduz.

nosso (re)encontro
reluz a ancestralidade viva
e real de poder viver
o Amor verdadeiro 
na Terra...

O presente é nosso maior presente...

Essa serenidade
postada em nossas atitudes
é o único Poder
que nos guia
em manifestos
sadios do partilhar....

em meus estados mais profundos encontro
meu coração unido ao seu
e nessa simbiose da elevação
transformamos folhas secas
em plantas vitais
no silencio de cada manhã...

Jaxuka Yamandu Porang